Curiosidades

Como é cozinhar no frio da Antártida? Este cara tentou e o resultado vai ‘dar um nó’ na sua mente

Cyprien Verseux é um glaciologista e astrobiólogo, atualmente trabalhando na base científica mais remota do mundo: a Estação Concórdia na Antártida. Para se ter ideia, até mesmo a Estação Espacial Internacional, a 400 km acima da Terra, está mais próxima da civilização do que este lugar, no fundo dos desertos gelados de nosso continente mais isolado e inóspito.

Quando não está ocupado coletando amostras e fazendo pesquisas sobre o clima no local, Cyprien mantém um blog para compartilhar suas experiências mais interessantes neste lugar extremo. As dificuldades de fazer o tipo de coisas que todos nós tomamos como simples deixam tudo mais fascinante. Cyprien e um pequeno grupo de cientistas estão sozinhos na base franco-italiana, bem no meio de um inverno na Antártida, onde até bactérias não conseguem sobreviver ao frio.

A falta de oxigênio e a paisagem árida do deserto fazem os cientistas sentirem que estão vivendo em outro planeta. “É a área mais fria da Terra, com temperaturas abaixo de -80 ° C no inverno”, explicou ele. “Nós vimos o Sol novamente em agosto depois de 3 meses sem que ele passasse pelo horizonte. Além disso, o ar é extremamente seco e pobre em oxigênio”.

Apenas por diversão, Cyprien decidiu ir para o lado de fora e tentar fazer umas artes na cozinha. Tirando fotos de diferentes tipos de alimentos quando expostos ao frio apavorante do inverno antártico. Confira abaixo as imagens que parecem desafiar as leis da natureza que a gente conhece:

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

Veja toda a experiência do astrobiólogo francês no Twitter: Cyprien Verseux 

Williams

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *